Cerveja de bandeja #01: Mondial de La Bière 2018 tendências do mercado nacional (estaria nascendo uma escola brasileira?)

Antes mesmo do esperado, o Brasil conseguiu ao que parece estabelecer o que já pode ser considerada uma escola cervejeira nossa. Já podemos identificar isso, e os rótulos premiados no Mondial de la Bière dão as pistas.

Dois aspectos marcam bem as características de cervejas que só poderiam existir aqui: o uso de frutas e outros ingredientes típicos, como rapadura, castanha-do-pará, café e mandioca; e a maturação em barris de madeiras nossas, tendências que abriram caminho para se trabalhar uma grande gama de estilos, emprestando caráter bem brasileiro a uma série de cervejas lançadas nos últimos cinco anos, principalmente.

O terceiro elemento é a criatividade, o que é algo tão brasileiro. A gente se vira, inventa, cria. Para quem acompanha o mercado cervejeiro, a evolução que assistimos é assombrosa, impressionante.

O próximo traço a definir com ainda mais ênfase essa nascente escola cervejeira brasileira é o uso de lúpulos plantados aqui, movimento ainda tímido mas irreversível, que vem alcançando sucesso em zonas frias e montanhosas das regiões Sudeste e Sul.

Família de estilos ainda pouco populares, as cervejas ácidas parecem ser o principal norte desta escola cervejeira, pelo uso corrente de frutas brasileiras, como graviola, goiaba, cacau, cupuaçu, açaí, uvaia, caju, grumixama e Cambuci, entre outras.  E não é de se estranhar que na lista de 13 medalhas de ouro desta edição do Mondial, nada menos do que oito são sours.  E as maturadas em barris foram outro destaque.

A Nikita Cherry Hickey, uma Russian Imperial Stout – Foto de divulgação / Thiago Brito

A grande vencedora deste ano, que levou a platina, foi a Antuérpia, com a Nikita Cherry Hickey, uma Russian Imperial Stout, feita com adição de lactose e cereja.

Agora, a lista das cervejas que ganharam Medalhas de ouro:

– Suburbana, com o rótulo Treta, estilo Berliner Weisse;

– Roter Brauhof, com o rótulo Roter Sour Ale, estilo Sour Ale;

– Overhhop, com o rótulo Aeternum – uma American Imperial Stout – e Gravioh LaLa, uma Catharina Sour;

– Mistura Clássica, com o rótulo Catharina Sour Goiaba, estilo Catharina Sour;

– Wonderland Brewery, com o rótulo Gone Mad, uma American IPA;

– Dádiva, com o rótulo Brewer’s Cut, do estilo American Sour;

– Bodebrown, com os rótulos Regina Sour Framboesa – do estilo Berliner Weisse – e Cacau Ipa Wood Age, uma American IPA;

– Thirsty Harks Farm Brewery, com o rótulo Ginga De La Boe, envelhecida em barril de gim;

– Cerveja Matisse, com o rótulo Saboya, uma Catharina Sour;

– FarraBier, com o rótulo comemorativo #2anos, estilo Catharina Sour;

– Colorado, com o rótulo Guanabara Wood Aged, uma Russian Imperial Stout;

SERVIÇO:
Data: 05 a 09 de setembro de 2018. Horário: Quarta e sexta de 16h às 00h, quinta, sábado e domingo de 14h às 00h.  Local: Píer Mauá, Armazéns 2, 3 e 4 | Av. Rodrigues Alves, n° 10, Saúde, Rio de Janeiro. Vendas pelo site www.mondialdelabiererio.com

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s