Park City: a estação de esqui mais saborosa dos EUA, com seus mais de 150 bares e restaurantes

 

Para muita gente, nos incluindo no pacote, o melhor das estações de esqui não são propriamente suas pistas e os esportes de neve. O mais divertido mesmo é apreciar a paisagem e o clima gelado, aproveitando as condições perfeitas para se sentar à mesa, abrir uns vinhos e comer bem. É mesmo delicioso passar o dia deslizando montanha abaixo, pegando aqueles teleféricos para subir até os pontos mais altos e depois descendo montado em cimas dos esquis e snowboards. Tudo muito bom, tudo muito bem, mas eu passo esse tempo todo pensando mesmo na melhor hora do dia, o après-ski: ou seja, depois do esqui, no sentido literal; quando a rapaziada ruma para um bar para encerrar as atividades ao ar livre e começar os trabalhos noturnos. Uma happy hour, antes daquele banho redentor que precede o jantar, este, sim, o ponto alto do dia.

A estação é a que tem a maior área esquiável dos EUA – Foto de divulgação

Mas, para que o programa seja verdadeiramente bom para aqueles cuja maior preocupação numa viagem é a comida,  ou seja, nós, a estação de esqui não pode ser qualquer uma. É preciso não só qualidade, mas também variedade de bares e restaurantes, o que nem sempre acontece (muitas estações são apenas um hotel isolado no meio de uma montanha, com dois ou três restaurantes – medianos – e olhe lá). Nesse sentido,  Park City, no estado americano de Utah, é um dos destinos mais cobiçados pelos esquiadores com fome e sede.  Em primeiro lugar é uma cidade de verdade, mais que isso, é um cenário de filme, um típico vilarejo minerador do Velho Oeste, com suas construções históricas, casos misteriosos e muito charme. São mais de 150 possibilidades, entre restaurantes, bares, cafés, cervejarias, pubs, destilarias e padarias. E está a apenas 30 minutos de Salt Lake City, abastecida com muitos voos e uma grande oferta de entretenimento. Para os adeptos dos esportes de neve a estrutura é das mais completas dos EUA, com 41 meios de elevação e 348 pistas em uma área esquiável de 2.954 hectares (a maior do país), sendo 50% delas destinadas a experts no esporte, 42% para praticantes de nível intermediário e 8% para iniciantes. Sem falar nas mais de 200 lojas, no outlet que brasileiro adoramos e no Sundance Film Festival, que acontece de 24 de janeiro e 3 de fevereiro.

O salão dos histórico No Name Saloon, construído em 1905 – Foto de divulgação

Um dos pontos obrigatórios de visita é o antigo No Name Saloon, construído em 1905;  localizado na Main Sreet, um desses lugares que reúnem boa comida e bebida, muitas TVs com esportes ao vivo, lugares proibido para menores: é preciso ter pelo menos 21 anos para entrar.  São famosos os seus burgers preparados com carne de búfalo, orgulho da casa, não sem razão: são seis versões (todas a US$ 14,50). A que leva o nome do lugar é duplamente apimentada, com jalapeños e aioli de chipotle.

Fogos nas festas de fim de ano – Foto de divulgação

Na mesma Main Street encontramos outro ícone da gastronomia de Park City, o 501 Main, com menus sazonais  altamente recomendáveis, explorando os ingredientes locais e a cozinha típica de Utah. Bisque de lagosta,  chili de bisão e uma boa seleção de burgers e sanduíches são boas pedidas.

A charmosa Main Street – Foto de divulgação

A oferta gastronômica da cidade que já sediou os Jogos Olímpicos de Inverno e tem ótima infraestrutura é mesmo grande, e não faltam chefs renomados dando expediente nos restaurantes de lá. Tanto assim que lançaram um livro reunindo dezenas de receitas de 20 dos melhores e mais emblemáticos restaurantes locais, como o No Name, uma bela publicação gastronômica que apresenta um pouco do que encontramos nas cozinhas de Park City.

A cozinha aberta do J&G Grill at St. Regis Deer Valley – Foto de divulgação

Outro bar emblemático do lugar é o High West Distillery & Saloon, onde muitos chegam e saem de esqui, onde rola naturalmente um animado après-ski. Um dos melhores hotéis do pedaço é o St. Regis de Deer Valley, praticamente uma extensão de Park City (mais 820 hectares esquiáveis, 101 pistas e 21 meios de elevação), e nele está localizado um dos restaurantes imperdíveis do lugar: o J&G Grill at St. Regis Deer Valley.

A fachada do excelente Tupelo, numa noite nevada – Foto de divulgação

Recentemente, chefs de cinco dos principais restaurantes de Park City, Utah foram convidados a apresentar suas criações em um jantar na  James Beard House de Greenwich Village, em Nova York.  Entre eles estavam Briar Handly, do Handle (seu famoso tomahawk é a foto de abertura deste post); Seth Adams, da Riverhorse on Main; e Matthew Harris, da Tupelo de Park City, três referências na gastronomia da cidade e que devem estar na lista de prioridades dos esquiadores que apreciam a boa mesa. O Handle tem fama de ser o melhor da cidade. Olhando o menu, parece que sim.

Mais informações  nos sites https://www.parkcitymountain.com e www.visitparkcity.com

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s